quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

"Da Rua da Frente à Beira-Mar - História de Pescador"

Dando continuidade às minhas sessões de homenagem, hoje é o dia da minha amiga do coração, Rachel Garcia.
 A Rachel foi minha amiga de faculdade e está lançando o livro “Da Rua Dra Frente à Beira-Mar – História de Pescador”.
A Rua da Frente, que remonta as origens da Beira-Mar, bem antes da construção da avenida, renasceu através das histórias de pescador. Suas paisagens, repletas de “casinhas” baixas de “chamei e varoado”, de taipa, barro, madeira e cobertas de palha, foram sendo humanizadas por pescadores e pelo “mulheril” faceiro, que ali moravam. Margeando a Rua da Frente, descortinaram-se paisagens naturais e culturais formadas por uma grande quantidade de embarcações, de coqueirais nativos e outros tipos de plantas, como pés de oiti, mangueira, cajueiro e azeitona. Da Colônia dos Pescadores do Mucuripe ao bar do seu Expedito, do cinema Tufim à escolinha, tudo foi reconstruído através da oralidade e da memória.
O livro retrata a visão que os pescadores têm de um trecho da Beira-Mar, do Porto do Mucuripe à feira de artesanato, com recorte temporal de 1936 a 2010. Optou-se (nos tópicos da Parte II) por organizar a narrativa pelo percurso feito com os pescadores e não por ordem cronológica dos acontecimentos. A ideia de contar as transformações do principal cartão postal de Fortaleza começou na pesquisa de mestrado do curso de Gestão de Negócios, da Uece. Após o término do mestrado, a dissertação foi adaptada, priorizando a voz dos primeiros moradores do local, os pescadores, e a memória imagética, assinada por Chico Albuquerque, Jarbas Oliveira e Ricardo Batista. A publicação do livro foi possível graças ao patrocínio da empresa Aço Cearense, via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, produção da Lumiar – Comunicação e Consultoria e edição da La Barca, com tiragem inicial de três mil exemplares.
No prefácio, o pesquisador Miguel Angelo de Azevedo, o Nirez, garante: “A maneira encontrada por Rachel para escrever o livro é sui generis e perfeita. (...) Aqui, as histórias de pescador não têm o sentido genérico que é da mentira ou do aumento da história. Pelo contrário, aqui representam a verdade, vista por cada um”. Além disso, a autora e, principalmente, os nativos, “descrevem historicamente a evolução social da cidade em relação à praia”. O passado e o presente são contados por três “vozes” diferentes: 1) a história contada pelos livros, 2) a história contada pelos homens (pescadores) e 3) a história visual (fotos atuais e de arquivos).
A linguagem singular dos pescadores, com suas expressões e vocábulos próprios, foi fielmente preservada pela autora. Eles falam dos antigos moradores, tipos de jangada, da vegetação e das sucessivas mudanças, até chegar à Beira-Mar de hoje: “Aqui era tudo limpo, deserto, e a praia era só areia mesmo, não era calçamento”, lembra seu Francisco. “Do lado de cá, era só mato. Aqui tinha uma arruado de casa, né? Que era a rua. Antigamente, as mulheres da vida moravam tudo aqui, nessa beira de praia. Depois foi que mudaram pra o farol do Mucuripe”.
Rachel Garcia é mestre em Gestão de Negócios pela Universidade Estadual do Ceará, Uece, bacharel em Turismo pela Universidade de Fortaleza, Unifor, onde atualmente cursa Arquitetura e Urbanismo. É professora universitária, tendo lecionado em cursos da Universidade Vale do Acaraú, UVA, Faculdade Tecnológica Intensiva – Fateci e outras.Também é consultora de projetos culturais e esportivos da Lumiar Comunicação e Consultoria, além de minha amiga, hahaha.
Amiga, PARABÉNS! Eu sei o quanto você batalhou para concretizar o sonho desse livro. Você merece todo o sucesso e felicidade do mundo. Além de escritora é uma pessoa de bem, determinada e decidida e, sem sombra de dúvidas, uma amiga maravilhosa, para todas as horas. Estou muito, muito orgulhosa de você e de mim também, por estar nos agradecimentos do seu livro, hahaha. Brigada por essa felicidade.
Te desejo todo o sucesso do mundo e que você continue a brilhar e a iluminar todos a sua volta.
Beijo grande,
Larissa!
O lançamento será sábado, dia 29.01.2011, no Iate Club, 16h.


               Imagem retirada do FB da Rachel. Ela e alguns pescadores da Beira-Mar.

4 comentários:

  1. Amigaaaa, que lindo.... Estou aqui morta de emocionada!! Muito mesmo... E agradecendo a Deus por ter você na minha vida, levantando minha auto estima e me elogiando sempre. Olha, você faz parte de tudo isso e eu agradeço a sua amizade, que me faz tão bem. Amo você!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!!! Quanta felicidade poder realizar esta obra!!!
    Parabéns amiga(Larissa), por ser amiga da Rachel! rsrsrsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ser amiga e estar nos agradecimentos do livro dela. hahahaha.
    É muita honra e orgulho.
    Beijo,
    Larissa.

    ResponderExcluir