domingo, 26 de dezembro de 2010

SEGUNDA-FEIRA MUSICAL

Em maio desse ano eu comprei um livro pro meu pai à pedido da minha irmã que queria presenteá-lo no aniversário. O livro Histórias de canções CHICO BUARQUE (Wagner Homem) fala do contexto histórico em que as obras do Chico foram escritas, como algumas foram criadas e algumas curiosidades. Na época pedi que quando meu pai acabasse a leitura ele me emprestasse, o tempo passou, eu esqueci e ele nunca emprestou. Semana passada saí com ele pra jantar e lá ele falou do livro. Ontem, fui almoçar com ele e voltei pra casa com o livro. Não cheguei a ler, mas só de folhear imagino que seja um bom livro para se ter na estante. Transcrevo aqui um trecho em que o próprio Chico fala sobre a música Futuros Amantes:

"Eu estava mexendo no violão, comecei a fazer a melodia, e a primeira coisa que apareceu foi exatamente cidade submersa, isolada de tudo...Porque cantarolando parecia cidade submersa, parecia que a música queria dizer isso. Eu tinha que ir atrás depois, tinha que explicar essa cidade submersa, tinha que criar uma história. Aí eu coloquei esses escafandristas e esse amor adiado, esse amor que fica pra sempre, né? Essa ideia do amor que existe como algo que pode ser aproveitado mais tarde, que não se desperdiça. Passa-se o tempo, passam-se os milênios, e aquele amor vai ficar até debaixo d´água e vai ser usado por outras pessoas. Amor que não foi utilizado. Porque não foi correspndido, ele ficou ímpar, pairando ali, esperando que alguém o acompanhe e complete a sua função de amor."


video

FUTUROS AMANTES
Chico Buarque

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar
E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos
Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você

Beijos e mais beijos!

Amanda Klein

2 comentários:

  1. Porque essa é uma das minhas músicas preferidas, a que eu deixo o som no ultimo volume e canto me esguelando mesmo :)
    Naiana

    ResponderExcluir
  2. Eu também tenho esse livro.
    Iuuuuuu....
    Larissa!

    ResponderExcluir