quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A libertação através do palavrão

Vocês já perceberam como é libertador falar aquele palavrão na hora da raiva, na hora em que os sentimentos estão a flor da pele? Eu percebi isso quando um retardado mental me deu uma cortada no trânsito. Eu buzinei e o desgraçado, infeliz, deu uma freada no meio da curva de propósito pra que eu batesse na traseira dele. Logicamente que nessa hora minha educação sumiu e eu pensei se eu deveria sair do carro e socar o capô do carro dele ou não, mas me contentei em parar meu carro do lado do dele e esbravejar todos os palavrões do meu vocabulário, dando ênfase nas frases que eu acredito que ofendam bastante um homem.

Todo mundo tem aquele palavrão que é o seu “xodó”, que é a chave da sua libertação. Aquele palavrão que quando você fala e ele sai do fundo do seu coração, do fundo da sua alma, você se liberta. O meu é: - Vá tomar no cú!!! - Eu acho um palavrão tão agressivo, tão agressivo, que quando eu falo isso com muita raiva, é algo maravilhoso, porque eu tenho a sensação que realmente eu estou ofendendo aquela pessoa (já que a intenção é essa). Não estou aqui incentivando o uso dos palavrões ou a agressão, mas a necessidade, que às vezes, nós temos de libertar um sentimento que está dentro da gente, sabe como é? Em geral eu sou racional, calma, analiso as situações e consigo agir com a razão, isto é, eu quero te matar, mas eu digo o que eu estou sentindo de uma forma direta, sem agressão, sempre tentando manter a educação e sem perder a linha. Mas chega uma hora que a situação pede que a educação vá dar uma voltinha, porque aquela raiva que está dentro de você precisa sair, e o causador daquela raiva precisa saber que ela existe, ele precisa senti-la. Nessa hora que acontece a libertação através do palavrão, você chuta o balde, e esbraveja seu palavrão preferido!



Li em um texto do Millô Fernandes sobre palavrões, a definição perfeita da sensação que eu sinto quando sai do fundo do "meu eu interior" o meu palavrão preferido. hahahahaha

Segue o texto: "E o que dizer de nosso famoso “vai tomar no cu!”? E sua maravilhosa e reforçada derivação: “vai tomar no olho do seu cú!”. Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: “Chega! Vai tomar no olho do seu cu!” . Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e sai à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor íntimo nos lábios." 

Libertem-se!!!    

Inté,

Amanda Klein

3 comentários:

  1. Amiga... pra algumas pessoas esse palavrao seria uma musica aos ouvidos... é melhor repensar e escolher outro... hahahahhahah
    naiana ( chiquemente instalada em punta del leste... o blog virou internacional)

    ResponderExcluir
  2. Ai.. Parece que tô vendo vc falar tudo isso..kkk
    Eu acho que o transito merece todos os palavroes, pq ngm merece tanta gente lerda como as daqui de Fortaleza.. ^$@%(#$@#^@%!@&%#*%!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkk Concodo, Camilote!!!!

    ResponderExcluir