terça-feira, 31 de agosto de 2010

Toca do meu pai? Não, de outro Plácido!

A Bruna, minha colega de trabalho, faculdade e grupo de pesquisa (ufa) me falou que tinha ido em um bar super legal com a Marina e a Natália, mais duas colegas de faculdade, chamado TOCA DO PLÁCIDO.
De cara já gostei do nome. Como assim do Plácido? Nome que, tirando meu avô e meu pai, ouvi falar pouquíssimas vezes. Sem contar no nome, também imaginei logo que ia gostar porque as meninas tem um gosto por saídas super parecido com os meus.
Então, chamei minha amiga de guerra-topa-tudo Amanda Klein e fomos no mesmo dia, ou melhor noite, atrás da tal TOCA. Não podia esperar, tinha logo que conhecer esse lugar super bem comentado e indicado. A Bruna não sabia o endereço, então me deu umas coordenadas e, como quem tem boca vai a Roma, imagina duas bocas em busca da TOCA DO PLÁCIDO.E assim chegamos.
Povo, lugar ótimo, lindo, todo estilizado, clima super agradável, todo com pequenos detalhes que fazem toda a diferença do ambiente e, sem contar, estava rolando um sambinha típico desses de boteco que eu adoro. O pessoal tocando sentado, sem microfone e caixa de som e até instrumento improvisado tinha. Cerveja gelada, atendimento excelente. O Marcelo, dono do bar, cearense mas, segundo a Amanda, com jeito de baiano, ou melhor, de Lázaro Ramos, ficou um tempo lá trocando uma ideia com a gente. Quando acaba o samba rola o mais puro som do autêntico vinil. Tudo naquele clima aconchegantemente retrô.
Pois é meu povo, o lugar vale super a pena. Certeza será mais um dos que eu frequentarei bastante, a lá “Bar do Arlindo”. Hahaha
Ahh, e Plácido também é o nome do pai do Marcelo. Eu tinha que pergunta, né?!

Olha aí a programação:

Terça - Sarau Poético

Quarta – Sem programação

Quinta - Samba

Sexta - DJ

Sábado – Vinil


Só esquecemos de pegar o endereço mas, como já foi dito que quem tem boca vai a Roma, seguem as mesmas coordenadas que a Bruna me passou: fica nas proximidades do “Marcão das Ostras” e, para quem conhece, próximo também a antiga casa do nosso querido e sumido amigo Vitola (ele deve ta chalando em algum pais exótico – hahaha). É só chegar por lá e perguntar que todo mundo te explica e você ainda escuta um: “Leva “nois” também”. Uauuuu!

Beijos, queijos e cervejas!
Larissa!

8 comentários:

  1. Para chegar lá vc vai na rua da casa do Vitola. Qnd passar a casa dele vc vai ver um bar do lado esquerdo, pois bem, não é esse! rsrs Nesse bar vc entra a esquerda e segue na ruazinha, depois de uns dois quarteirões vc vê a TOCA DO PLÁCIDO do seu lado direito! Agora se vc não sabe onde o Vitola mora...lascou! Vou perguntar o nome da rua dele e informo aqui.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Endereço do Vitola:
    Rua Prof. Carvalho 3033. A Prf Carvalho é paralela a Rui Barbosa.

    ResponderExcluir
  3. Sei demais onde fica esse bar, ja passei algumas vezes em frente, e tb ja me recomendaram, dizem que é muito bom... Quando voltar do pais exotico que estou morando a gente combina de ir nessa vibe ai Larissa.
    Acho que esse mapa vai ajudar vcs http://migre.me/1bxs8 podem clicar !
    Sds

    ResponderExcluir
  4. Tô doida pra conhecer essa novidade, Larissa! Pelas fotos ja gostei de cara da decoração, da redinha e da cachorrinha. hehe. To sentindo que vou adorar! Valeu a dica!!
    Bjos.
    Adília

    ResponderExcluir
  5. Amiga Larissa, adorei o espaço de vcs. Bem a tua cara mesmo. Amanhã tô indo lá conhecer a Toca... e depois coloco aqui meus comentários. Bjs...vou seguir!!!!

    ResponderExcluir
  6. A Sra. é a primeira pessoa que vêm aqui e não gosta desse camarão;
    Eu: Pois o Sr. pode registrar que eu sou sim a primeira que não gosta deste prato. Meu paladar não aceita pimenta;
    Ele: A Sra. deveria ter perguntado para o garçom como o prato era feito;
    Eu: Sr. eu perguntei ao seu garçom como o prato era feito e ele não me informou que nele tinha pimenta;
    Ele: A Sra. sabia que a gente só freqüenta lugares que a gente conhece? A Sra. deveria se informar melhor sobre os lugares antes de visitá-lo.

    ResponderExcluir
  7. RECLAMAÇÃO Toca do Plácido

    Ontem, dia 20/10/2011, resolvi conhecer um barzinho que há muito tempo uma amiga me indicava. Dizia que era diferente, comida boa e barata.
    Fui conferir. O lugar é realmente exótico e pequeno, muito pequeno. E scolhi um prato de camarão no molho de maracujá. Perguntei ao garçom como ele era feito e este apenas respondeu que era um camarão ao molho de maracujá e cachaça. Indaguei se o sabor da cachaça era forte e o mesmo respondeu dizendo que não.
    Pedido feito. Camarão ao molho de maracujá com cachaça e macaxeira frita. Quando o prato chegou detestei de imediato. Não dá pra sentir nem o gosto do maracujá muito menos da cachaça. Aliás ele não vem em molho algum. Ele vem refogado em muita, muita, muita ervas finas e pimenta (EU ODEIO PIMENTA e para mim ervas finas demais tiram o sabor do alimento). Provavelmente no molho que eles refogam têm maracujá e cachaça.
    Reclamei de imediato com o garçom e para salvar a noite pedi casquinha de caranguejo (que todo mundo fala que é excelente). Bom, para o valor R$10,00 reais, realmente a porção é bem generosa, mas certamente não é a melhor que eu já comi. A casquinha também tem um pouco de ervas finas e um tiquinho de pimenta. Mas meu paladar estava tão quente que nada realmente ficou bom.
    Fui lavar as mãos pois tinha passado a refeição inteira descascando o camarão para diminuir o sabor da pimenta e acabei comentando com o outro garçom que tinha detestado o camarão e ele me informou que eu deveria ter pedido o camarão empanado ou o alho e olho (COMO SE NÃO TEM NO CARDÁPIO?). No fechamento da conta eu sugeri a um dos proprietários que atualizasse o cardápio (já que o outro garçom tinha me informado os outros tipos de prato), pois eu não havia gostado do prato que eu tinha consumido e expliquei os motivos. O outro proprietário (um homem moreno, uns trinta e poucos anos, cabelo cacheado curto e solto) estava sentado mexendo num notebook e falou arrogantemente (sem se virar para me olhar): A Sra. é a primeira pessoa que vêm aqui e não gosta desse camarão;
    Eu: Pois o Sr. pode registrar que eu sou sim a primeira que não gosta deste prato. Meu paladar não aceita pimenta;
    Ele: A Sra. deveria ter perguntado para o garçom como o prato era feito;
    Eu: Sr. eu perguntei ao seu garçom como o prato era feito e ele não me informou que nele tinha pimenta;
    Ele: A Sra. sabia que a gente só freqüenta lugares que a gente conhece? A Sra. deveria se informar melhor sobre os lugares antes de visitá-lo.
    Eu: Contive-me para não iniciar um bate boca, paguei a conta (só aceita pagamento à vista + 10% do garçom) e fui embora indignada pela postura do proprietário do estabelecimento.

    ResponderExcluir
  8. Ops! Bar escondidinho, bom e barato! Vou lá também, depois volto pra contar. Acho que vou pedir o tal camarão na maracujá e cachaça SEM PIMENTA! Deve ser bom demais sô!
    bjus e obrigada por compartilhar

    ResponderExcluir