quarta-feira, 25 de agosto de 2010

REALIDADE

Gente, passando aqui rapidinho no meu horário de almoço pra comentar sobre uma cena engraçadamente triste que presenciei hoje logo cedo.
Ao chegar na HABITAFOR, meu mais novo e adorado local de trabalho (depois de muito esforço), me deparo com uma multidão de gente na calçada, as portas trancadas e a policia armada dentro e fora. De cara imaginei que fosse algum protesto e, de fato, era.
Fui me metendo no meio do povo pedindo licença e TODOS eles gentilmente me cedendo. Quando por fim consegui chegar a porta uma mulher pegou no meu braço e perguntou:
-Você trabalha aqui?
E eu, um pouco receosa:
-Não senhora, vim fazer um trabalho para a faculdade.
Quando consegui encostar no vidro,chamei um policial e fiz gestos de que trabalhava lá e precisava entrar. Ele, com gestos também, me mandou entrar pela garagem. Quando estou saindo para entrar na garagem, novamente a mulher:
-Ei minha filha, você vai entrar por onde?
-Por nenhum lugar, vou embora.
Segui meu rumo, encontrei um policial no caminho e ele foi andando comigo até o portão da garagem.
Quando cheguei La em cima tava aquele converseiro sobre os manifestantes, a polícia e o motivo da manifestação, nesse caso: HABITAÇÃO!
Gente, o problema de habitação é um dos mais sérios do nosso país. É algo que todo mundo tem noção de que existe mas que não imagina, de fato, como é a realidade. Dos mais absurdos que já vi, tem FAMÍLIAS morando em barracos nas margens de rios, com aquela areia molhada, barrenta e o barraco não tem nem coberta, é a céu aberto mesmo. Crianças brincando na lama, misturadas com animais. Desse sério problema de falta de habitação originam-se vários outros, como a saúde, por exemplo, entre vários que eu poderia citar aqui mas o tempo não me permite. Isso é um caso que tem que ser visto, aliás, enxergado por todos nós. Estamos falando de DIGNIDADE humana ou, nesse caso, a falta dela.
Enfim, ano de eleição, é bom pensarmos e avaliarmos muito bem o nosso precioso voto. Ele é a nossa força, nossa arma, para se fazer algo por essas pessoas que tanto necessitam.

Beijos,

Larissa Viana!

2 comentários:

  1. Cara como tu é ligada! Se a mulher me perguntasse "Você trabalhava aqui?" eu com toda minha leseira, teria dito: Trabalho sim senhora. Eu posso ajudá-la em alguma coisa? Depois disso, provavelmente eu teria virado refém da multidão.

    ResponderExcluir
  2. kkkk...eu estava pensando a mesma coisa que a Amanda.. No mais é triste mesmo ver o problema habitacional de nosso país, aliás, do mundo!!! Como podemos pensar que as pessoas tem que ter consciência disso e daquilo quando não tem nem onde morar! O direito a habitação, comida, saneamento básico e educação deve ser de todos!!! Para mim, isto é instinto de sobrevivência..
    Beijos
    Rully

    ResponderExcluir