terça-feira, 31 de agosto de 2010

Toca do meu pai? Não, de outro Plácido!

A Bruna, minha colega de trabalho, faculdade e grupo de pesquisa (ufa) me falou que tinha ido em um bar super legal com a Marina e a Natália, mais duas colegas de faculdade, chamado TOCA DO PLÁCIDO.
De cara já gostei do nome. Como assim do Plácido? Nome que, tirando meu avô e meu pai, ouvi falar pouquíssimas vezes. Sem contar no nome, também imaginei logo que ia gostar porque as meninas tem um gosto por saídas super parecido com os meus.
Então, chamei minha amiga de guerra-topa-tudo Amanda Klein e fomos no mesmo dia, ou melhor noite, atrás da tal TOCA. Não podia esperar, tinha logo que conhecer esse lugar super bem comentado e indicado. A Bruna não sabia o endereço, então me deu umas coordenadas e, como quem tem boca vai a Roma, imagina duas bocas em busca da TOCA DO PLÁCIDO.E assim chegamos.
Povo, lugar ótimo, lindo, todo estilizado, clima super agradável, todo com pequenos detalhes que fazem toda a diferença do ambiente e, sem contar, estava rolando um sambinha típico desses de boteco que eu adoro. O pessoal tocando sentado, sem microfone e caixa de som e até instrumento improvisado tinha. Cerveja gelada, atendimento excelente. O Marcelo, dono do bar, cearense mas, segundo a Amanda, com jeito de baiano, ou melhor, de Lázaro Ramos, ficou um tempo lá trocando uma ideia com a gente. Quando acaba o samba rola o mais puro som do autêntico vinil. Tudo naquele clima aconchegantemente retrô.
Pois é meu povo, o lugar vale super a pena. Certeza será mais um dos que eu frequentarei bastante, a lá “Bar do Arlindo”. Hahaha
Ahh, e Plácido também é o nome do pai do Marcelo. Eu tinha que pergunta, né?!

Olha aí a programação:

Terça - Sarau Poético

Quarta – Sem programação

Quinta - Samba

Sexta - DJ

Sábado – Vinil


Só esquecemos de pegar o endereço mas, como já foi dito que quem tem boca vai a Roma, seguem as mesmas coordenadas que a Bruna me passou: fica nas proximidades do “Marcão das Ostras” e, para quem conhece, próximo também a antiga casa do nosso querido e sumido amigo Vitola (ele deve ta chalando em algum pais exótico – hahaha). É só chegar por lá e perguntar que todo mundo te explica e você ainda escuta um: “Leva “nois” também”. Uauuuu!

Beijos, queijos e cervejas!
Larissa!

Roda Viva - Eike Batista

O empresário Eike Batista foi entrevistado ontem no Roda Viva. A entrevista está sendo super comentada e eu estou doida para assistir, mas ainda não achei o vídeo na internet. Se alguém achar me manda, por favor! Pelo o que eu li, durante a entrevista ele falou que contribuiu financeiramente com a campanha dos dois principais candidatos à presidência, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). Informou o quanto pagou de imposto de renda neste ano. "Dei um cheque de R$ 670 milhões".


OBS: Eu não me lembro se algum dia na minha vida eu passei um cheque de R$.670,00 (à vista) "cadavê" de R$.670 milhões. Pensamentos à parte...vou continuar a caça pelo vídeo da entrevista e quando eu achar informo o link aqui.

Beijinhos,

Amanda Klein

Manual do Executivo Ingênuo

Um dos blogs da EXAME que vez por outra eu dou uma olhadinha, é o Manual do Executivo Ingênuo, escrito por Adriano Silva. Lá consta a publicação da carta de uma leitora que pensa em suicídio e a resposta do Adriano à essa leitora. Achei muito interessante e acho que a leitura é válida.

Beijos,

Amanda Klein

Recebi na sexta à noite a seguinte mensagem, por e-mail, de uma leitora do Blog:

“Oi, Adriano. Tenho lido teu Blog e tenho um pedido a fazer. Se não der para responder, tudo bem.

O tema seria sobre suicídio. Esse pensamento não sai da minha mente, só não achei um meio eficaz de fazê-lo. Não tenho alegria em viver, nada dá certo, meu ex companheiro tem outra pessoa apesar de estarmos juntos, não consigo levar adiante meus projetos, tenho medos que não sei explicar. Para muitos, isso é frescura. Mas o dilema que tenho dentro de mim é muito grande. Não acrescento nada na vida de ninguém, nem na minha. Como dependo financeiramente do meu companheiro, ele se acha no direito de dizer e fazer o que quer, apesar de estarmos juntos. Eu me culpo por não ser mais independente mas tem algo que me bloqueia. A única saída que encontrei é sumir do mapa, pois aí não deixo ninguém preocupado comigo.

Ninguém tem culpa dessa decisão que eu vou tomar, ela é só minha. Eu não sou feliz, não produzo nada de bom, não tenho filhos, a dor que minha família vai sentir passará logo. Desculpa por estar escrevendo isso, talvez você nem dê bola para o que escrevi. Bom fim de semana e continue amando a tua família.”

Minha amiga, eu pensei um bocado em você e nessa mensagem aí em cima. O suicídio, como todo tabu, seria melhor compreendido por todos nós se o debatêssemos mais, se falássemos mais sobre ele. A gente não fala sobre essa decisão radical e derradeira de por um ponto final em si mesmo. Então o entendemos de maneira mais estreita e rasa do que poderíamos. Exatamente por isso, o que vou lhe dizer a seguir é apenas o que eu penso a respeito.

Na vida, devemos regular nosso motor para rodar com apenas um tipo de combustível: a estima que temos por nós mesmos. No fundo, só podemos contar mesmo é conosco. Nossos pais morrem – e não necessariamente nos amam como gostaríamos. Nossos companheiros vem e vão, chegam e vão embora – é assim que funciona. Nossos filhos também, quando os temos. Eles são do mundo, não são nossos – como reza um dos tantos clichês sobre a maternidade e que são a mais pura verdade. Os amigos, da mesma forma, estão sempre passando, estamos apenas cruzando com eles pela vida. No fim das contas, a única pessoa que estará com você na hora da morte, seja ela natural, por acidente ou planejada, será você mesma. Portanto, a única pessoa que a acompanhará vida afora, por todos os momentos, também será você. O que quero dizer com isso? A relação mais importante que você tem a nutrir na vida é com você mesma. Você precisa fazer coisas que a façam sentir orgulho de si mesma, desenvolver estima por quem você é, se engajar em projetos interessantes que lhe tragam a alegria de viver que você alega ter perdido. É necessário agirmos para ajeitar a vida de um jeito que nos dê prazer, que nos faça sorrir minimamente. Precisamos ser nossos melhores amigos, precisamos aprender a gostar de nós mesmos acima de todas as coisas, precisamos cuidar da gente. Mesmo a pessoa que mais lhe ama nessa vida entrega a você só uma fração da sua afeição, da sua atenção. Você, em contrapartida, ocupa, para o bem e para o mal, 100% do seu próprio radar. Você acorda e dorme consigo mesma. Então essa relação tem que ser boa. Tem que ser a melhor possível. Essa é a primeira coisa que tenho a lhe dizer: o problema está sempre dentro da gente. E a solução do problema também. A fonte da angústia nunca está lá fora, nos outros, como gostamos de acreditar. As coisas não são como elas são – elas são como a gente as vê.

Outro ponto: a autoestima começa pelo item mais básico – ser capaz de viver de modo independente. Ser um indíviduo autônomo, que não depende de ninguém para existir. Isto signifca duas coisas: no plano emocional, não coloque a sua felicidade no colo de outra pessoa. Temos que ter a capacidade de ficar sozinhos. E, sobretudo, a capacidade de trocar de parceiro quando esse for o caminho, de procurar outros companheiros que nos façam mais felizes. Sua vida e sua felicidade pertencem a você e a mais ninguém. No plano do dia a dia, ser um indivíduo autônomo significa não colocar a sua sobrevivência no bolso de outra pessoa. Não ser capaz de pagar as próprias contas, de gerar o próprio sustento, é uma fonte inesgotável de sentimentos que não colaborarão em nada com o respeito que você tem que sentir por si mesma. Você tem medo da vida, de crescer, de virar um ser adulto, de tomar as rédeas da sua própria existência, da comandar sua própria vida, de assumir responsabilidades, de pagar suas próprias contas? Bem vinda ao clube! Enfrente esse medo. (Aliás, enfrente qualquer tipo de medo que lhe paralisar. Não deixe que nenhum deles assuma o controle. Nunca. Contra ataque.) E lembre-se, acima de tudo, de que o caminho é sempre longo. E que o jeito de se avançar por ele é um passo de cada vez. Uma degrau depois do outro. Uma pequena vitória colocada sobre outra.

Por fim, a ideia do suicídio, quando se impõe de fato a uma pessoa, me parece sempre como um breu que a impede completamente de enxergar todas as milhares de possibilidades sensacionais que há à sua frente, ao seu lado. A ansiedade, a depressão, a extrema tristeza, a grande angústia, a falta de estima por si mesmo, o medo de sair do lugar obnubilam a visão. E a criatura deixa de ver que simplesmente não existe na espécie humana essa situação do tipo “não há saída”. A vida e o mundo estão cheios de saídas para todas as situações. E quando elas não estiveram lá, à vista, a gente inventa uma saída nova. Veja:

Há 3 bilhões de homens no planeta para você namorar, flertar, transar, casar, esnobar, beijar, fornicar, conversar, curtir.

E há mais de 3 bilhões de mulheres – caso seu paladar seja amplo o suficiente!

Há pelos menos uns 100 países maravilhosos para você conhecer, trabalhar, estudar, ir ver qual é, dar um tempo, imergir, recomeçar.

Há centenas de atividades para você conhecer, se engajar, aprender, se desenvolver, dominar, amar, se realizar, fazer diferença.

Me diga: do que você gosta? O que lhe faz feliz?

Você precisa se conhecer. E se respeitar.

Corra atrás de si mesma – e não para longe de si.

E caminhe em direção ao sol – e não à noite. Trata-se de uma escolha. Está na sua alçada decidir, acredite.

Me parece que, no seu caso, é hora de começar a viver. Não de acabar com a vida.

Perceba como uma vida só é curta demais para todas as delícias que a existência pode nos proporcionar. Você tem a sorte de ser gente – de não ser uma pedra ou uma minhoca. De ter dentro da caixa craniana um cérebro que a evolução demorou milhões de anos para construir e depurar. Sinta-se feliz com isso. E use-o sem dó! Saia da inação, da inércia, e trate de aproveitar o seu tempo para deixar uma marca por onde passar. Sua vida é um romance que você escreve todo dia. Corra o risco de apimentar essa trama.

Essas coisas todas não são fáceis de fazer, admito. Algumas delas, para a maioria das pessoas, são impossíveis de realizar sozinhas. Bons psicólogos estão aí para isso mesmo. (Eu evitaria os remédios que anestesiam e não resolvem, se me permite dizer.) Agora, se você está tentando mandar um recado a alguém, usar talvez de chantagem com alguém ao tocar nesse assunto tão nevrálgico, colocando a si mesma como isca do blefe, na tentativa de angariar compaixão e amor, ou de se vitimizar para gerar culpa no outro, aí lhe digo que o jeito mais eficaz de dizer alguma coisa a alguém é sempre simplesmente procurar essa pessoa e dizer a ela o que você tem a dizer. De modo reto. Ouvir o que ela tem a dizer de volta. E seguir vivendo. Sem raiva nem remorso, sem sentimentalismo e sem auto comiseração – coisas que costumam não levar a lugar nenhum.

Boa sorte em tudo, querida. Desejo a você uma vida longa e feliz.

SAMBA DE UM MINUTO

Pra terminar bem a segunda e começar a semana com o pé direito, um sambinha pra animar as cabeças!

Devagar

Esquece o tempo lá de fora
Devagar
Esqueça a rima que for cara.

Escute o que vou lhe dizer
Um minuto de sua atenção
Com minha dor não se brinca
Já disse que não
Com minha dor não se brinca
Já disse que não.

Devagar, devagar com o andor
Teu santo é de barro e a fonte secou
Já não tens tanta verdade pra dizer
Nem tão pouco mais maldade pra fazer.

E se a dor é de saudade
E a saudade é de matar
Em meu peito a novidade
Vai enfim me libertar.
Devagar...

Composição: Rodrigo Maranhão

Inté
Amanda Klein

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

RITA LEE

Sábado fomos para o show da Rita Lee que foi hiper, mega, blaster, power maravilhoso! Pra começar, logo na entrada, a Luciana e a Rapha deram uma entrevista. Kkkkkkkkkkkkkk. Que micão!!!

Repórte: Desde quando você gosta da Rita Lee?

Luciana: Desde sempre! (Aí ela sorrir com aquela cara de paisagem e o microfone na boca esperando o restante da resposta que nunca veio). kkkkkkkkkkkkkkk

Digo logo que o programa passará domingo (05/09/2010) na TV CIDADE (afiliada da RECORD) às 11hs! Coloquem o despertador!! Vale a pena ver!!

Vamos pra frente na história...o show começa e nós abandonamos nossas mesas e fomos pra frente do palco pagar de tiete mesmo, nessa, a Rapha pega na mão da “tia Rita” e a Jajá pega a luva que o “Michel Jackson” falsificado jogou pra platéia. Nessa hora já estava instalada a desordem total. Ninguém mais queria sentar nas suas mesas, a galera da mesa Ouro começou a jogar gelo na galera mundiça da mesa Prêmio (no caso NÓS e mais algumas dezenas de pessoas) que estava na frente do palco. No Siará Hall não pode fumar porque o ambiente é fechado e com ar condicionado, mas ninguém respeitava essa regra também. Os seguranças nem ligavam mais pra nada e só ficavam rindo da desordem total. Como disse a própria Rita Lee durante o show "quando tá tudo errado, mesmo assim dá certo" e foi assim que a noite aconteceu! O show foi muito bom, só com músicas ótimas! A presença de palco da “tia Rita” é incrível e ela é totalmente louca e desvairada, mas eu adoooooro e acho o máximo ela ser assim! Queria que ela fosse minha tia de verdade! Rsrsrsrsrs

Bjsss,
Amanda Klein

Colorindo o antigo..

No meu apartamento antigo tinha duas cadeiras Luis XV ( eu procurei aqui uma foto delas no estado original mas não achei) e quando nos mudamos elas ficaram quase abandonadas, só não ficaram 100% abandonadas porque meus gatos adoravam ir dormir nelas.
Eu resolvi pega-las para mim mas elas com aquela cara muito clássica e tradicional  não combinavam muito comigo...Então resolvi dar uma cara nova!
Peguei uma e mandei laquear de branco para colocar no meu escritório e a outra mandei laquear de amarelo(OVO!) para colocar no meu quarto. Elas ficaram lindas!!!
A amarelinha eu ainda não revesti com o tecido, por isso vocês vão ver a foto apenas do processo, mas a branquinha eu coloquei um tecido preto e deixei ela com um toque básico e moderno ao mesmo tempo, já que o meu escritório já tem muito vermelho!
Eu estou aqui estudando uma ideia de tecido para a cadeira amarela que fique legal e combine com o resto do meu quarto..
Abaixo, a cadeira branca no escritório. Por favor, não reparem a bagunça!


A cadeira amarela só com a espuma, rssrsrsrs..



 As fotos foram batidas com a câmera do celular, por isso que elas estão com essa qualidade ótima!! A cadeira amarela é bem mais brilhosa...

Poisé gente, alguma ideia para o revestimento da cadeira amarela? Lembrando que o meu quarto é puxado para os tons de azul.. 
Falando nisso, essa dica é ótima para qualquer móvel e está super em alta, eu acho que dá um charme extra em qualquer cafofo!! hehehehe

Abaixo, umas ideias legais de móveis com design antigo laqueados com cores fortes..





Beijos,

Rully

domingo, 29 de agosto de 2010

Transgressão.

Impossível nos dias de hoje não pensar, repensar e re-repensar a respeito das regras socias que nos são impostas e sobre como devemos lidar com elas...
Acatar, baixar a cabeça, ser só mais um corpo presente no mundo ou discordar, brigar, lutar por aquilo que se acha justo? Com certeza a segunda opção! Mas ai vem outra pergunta: E como lutar? Como conseguir se impor?
O radicalismo, agressões verbais e até corporais nunca me encantaram. Pelo contrário, acho que isso nunca dá certo e o tiro sempre sai pela culatra: Os lutadores viram “vândalos”...
Bem, toda essa minha opinião dada foi para dividir aqui com vocês, um texto de um colega e instrutor de yôga, Rômulo Justa, que é psicologo e tem um blog que é digno de ser lido e relido SEMPRE!
Com a licença Rômulo, vou colocar seu texto aqui...

Sobre a Transgressão.
Relendo um texto genial do meu amigo Marco Carvalho, instrutor de Curitiba, fiquei com vontade de falar um pouco sobre este assunto fascinante.

Sempre fui atraído pela transgressão, pela subversão. Contudo, hoje em dia tenho uma concepção totalmente diferente da que tinha quando mais jovem.

Transgredir não é necessariamente se opor, contradizer, desafiar violentamente. Isto só atraia forças repressoras que serão tão violentas quanto mais forte for a força transgressora.

Ora que curioso: aqueles que querem subverter, em geral, fazem questão de deixar bem claro seu desejo de contradizer. Expõem isso em camisas, portam bandeiras, gritam palavras de ordem... E se revoltam (justificadamente, ok) quando sofrem algum tipo de opressão. O que eles esperavam em troca? Sorrisos e fogos de artifício?

Na verdade, este tipo de subversão, de tão visível, chega até a ser previsível, daí ser tão fácil reprimí-la. Quem, realmente, se importa com passeatas, intervenções, buzinaços, gritarias? Se você, como eu, cursou faculdade pública, sabe bem do que falo...

Agora, há um outro tipo de transgressão, muito mais profunda e sutil, que vale a pena abordar. Ela é muito utilizada na ancestral filosofia comportamental que embasa o Método DeRose.

Ela ocorre quando decidimos fazer algo que nunca antes tivemos coragem de fazer: sair de um emprego, mudar o (ou de) relacionamento afetivo, romper com o padrão de expectativas sobre você ou outra pessoa, quebrar regras insossas que tolhem nossa liberdade e sensorialidade... Mas sem que ninguém perceba!

Esse é o grande trunfo da transgressão que pratico, que provoca uma catarse de efeitos ultrabenéficos ao psiquismo. Há o prazer e a delícia de transgredir, mas sem os olhares recriminadores ou invejosos que buscam lhe reprovar. Basta discrição.

Como disse o próprio Marco, se recusar a ser só mais uma pessoa fútil e se negar a ter roupas de marca, carro do ano, novas bugigangas tecnológicas da moda, ser só mais um rostinho ou corpinho bonito, nem mesmo ligar para dinheiro, bem, isto é até uma atitude louvável. Tenha certeza que muitos saberão que você não curte tais coisas e te julgarão de acordo com esta percepção.

Agora, ter roupas de marca, carro do ano, rostinho e corpinho bonitos, bugigangas tecnológicas da moda, ligar para dinheiro e, mesmo assim, não ser fútil e, discretamente, utilizar todos estes meios para viver a vida do seu jeito e não jogar o jogo do senso comum, cara, isto é transgressão pura! E ninguém percebe!

Ser educado, em nosso contexto, é uma transgressão, mas ser incisivo quando esperam floreios, também;

Do mesmo modo que cultivamos a disciplina, devemos nos esmerar em cultivar a arte de romper todas elas, temporariamente, nos momentos certos. Com discrição.

Gente, o Método DeRose é o método que engloba o SwaSthya yôga, a linha de yôga que pratico, e dentre várias coisas ela prega uma sociedade matriarcal, sensorial e desrepressora, bem diferente da nossa atual que é patriarcal, antisensorial e repressora!!!

Beijos

Rully

Johnson

Como alguns de vocês sabem e viram, eu estou com uma “pequena” deformidade no meu olho esquerdo. Pois bem, o carocinho que estava levemente incomodando na quinta virou um mostro nojento no canto do meu olho. Fui ao médico sábado porque o negocio tava feinho, ele medicou e disse que poderia piorar nas próximas 24 horas, mas que depois de 48 horas eu sentiria a melhora. Posso dizer que a previsão das próximas 24 horas foi perfeita e meu olho piorou muuuito hoje. Ele está inchando e saindo uma espécie de pus...algo ultra, mega, blaster, máster nojento. Eu até bati umas fotos, mas achei melhor poupar meus amigos e parentes de algo tão nojento. Eca! Enfim, falei tanta porcaria para dar uma dica que algumas de vocês já estão carecas de saber. O oftalmologista disse que pra retirar a pomada que ele passou, eu usasse xampu infantil Johnson que era ótimo para limpeza dos cílios. Indicou que eu não usasse demaquilante nos olhos e sempre retirasse a maquiagem com o xampu.
Então, como vocês já viram essa dica milhares de vezes nos blogs de maquiagem da vida, eu apenas ressalto que isso é algo indicado por um médico também! Ah!!! O xampu também serve para limpar pincéis de maquiagem. Vale lembrar, que para retirar a maquiagem, você coloca o xampu no algodão e passa nos olhos como se fosse um demaquilante normal. Depois lava normalmente. Não façam como eu que usava o xampu como se fosse um sabonete líquido e ficava esfregando horrores o olho e a maquiagem não saía muito bem. Às vezes, o meu lado loiro fala muito alto! =)

Bjs,

Amanda Klein

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

MC DIA FELIZ!

Amanhã tem MC Dia Feliz aqui em Fortaleza! Isso significa que toda renda arrecadada com a venda do Big Mac será destinada à Associação Peter Pan - APP que combate o câncer infantil. O projeto é bem bacana e vale a pena contribuir. Se você está de regime e vem se privando de deliciar-se no McDonald, acabo de apresentar uma ótima justificativa para você comer sem culpa, afinal, a causa é nobre! E para as vegetarianas de plantão, vale pedir um Big Mac sem carne, né Rully?! Mais uma vez a atendente vai te olhar como se você fosse um E.T, mas tudo bem! =)


Associação Peter Pan - APP: http://www.app.org.br/

Bjs,

Amanda Klein

Leandro Fregonesi

Fim de semana passado conhecemos um sambista paulista que mora no Rio. O nome dele é Leandro Fregonesi. Ele estava na terrinha para dar uma palestra sobre produção na Feira da Música que aconteceu esses dias por aqui. Conversa vai, conversa vem, e o cara é gente finíssima. Trocamos idéias e ganhamos CD que essa semana eu ouvi e adorei!!! É o que rola no meu carro atualmente. O mais engraçado de tudo é que diferentemente do meu pai, quando eu gosto de uma música eu não procuro saber quem é o compositor, a história dele e etc. Confesso que isso é um grande erro porque às vezes não captamos por completo a beleza da letra por não conhecermos algumas informações...enfim, quando eu dei uma carona da Feira da Música até o hotel dele, no meu carro, ele colocou meu CD do Diogo Nogueira (que eu sou fã) e me mostrou duas músicas que o Diogo canta e que são composições dele. Ou seja, eu já conhecia e gostava do trabalho dele e não sabia!

Esperamos que em breve o Leandro volte para fazer um show no Amici´s!! Ia ser bem bacana!



Para mais informações sobre ele, acessem os sites:
http://www.leandrofregonesi.com.br/
http://leandrofregonesi.blogspot.com/2010/07/boas-vindas.html

Bjs,

Amanda Klein

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Carência...

O norte-americano Dominique James Conway, de 23 anos, foi preso no domingo em Iowa City, nos EUA, depois que agrediu uma pessoa porque ela não quis abraçá-lo, segundo reportagem do jornal "Iowa City Press-Citizen".

Conway, que estava bêbado, disse à polícia que ficou irritado depois que tentou a abraçar um homem, mas ele se recusou a trocar afeto. Aborrecido com a rejeição, ele agrediu a vítima com socos e amassou o capô de um Ford Explorer.


Fonte: G1
http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2010/07/americano-e-preso-porque-agrediu-homem-que-nao-quis-abraca-lo.html
 
Bjs,

Amanda Klein

COMPARTILHANDO ALEGRIA

Genteeee, to precisando gritaaaar.
Hoje o dia foi louco e longo, a começar pela cena da manhã na calçada do trabalho. Depois disso, aula 13:30h para chegar em casa 23:30h.
Hoje era o último dia de enviar o tão trabalhoso artigo e, como todo último dia, sempre ficam aqueles retoques finais que parecem intermináveis e você só consegue enviar 23:57h. Foram dias e noites lendo, pesquisando, dormindo e acordando pensando em HABITAÇÃO. Perdendo as férias indo para a faculdade todos os dias encontrar com os companheiros de pesquisa.
Mas eu me pergunto, perdendo ou ganhando? GANHANDO, né?! Ganhando conhecimento, sabedoria, vontade de aprender cada vez mais, de compartilhar conhecimento, sem contar nas novas pessoas que passei a conhecer melhor nesse grupo, cada uma foi uma descoberta interessante. Lutando por um sonho, por um ideal. Querendo fazer o lado humano de uma profissão que é tão estrema, que pode ir do fútil ao social. Sem querer questionar todos os ramos da arquitetura.
Enfim, to com aquela sensação de alívio e felicidade extrema. Agora é só esperar o resultado, o qual estou na torcida diária para ser positivo.
Esse final de semana vou ter as tão merecidas férias e vou correr para os braços dos meus pais ou, como costumo chamá-los, painho e mainha. Vou visitar minha cidade, minha casa... ai coisa boa, a cara da infância. A casa com quintal grande, a cama dos pais, seu quarto, a comidinha que você gosta, tijolinho de leite.. huuum, já fiquei com água na boca só de pensar.
Quero aproveitar e agradecer a uma grande professora chamada Camila Girão. Foi graças a ela que tudo isso começou. A ela todo o meu respeito, carinho e admiração pela grande professora e profissional que ela é, sabe como te passar o conhecimento e a paixão que ela tem pelo o urbanismo. E mandar um beijo para todos os colegas de grupo. Foram muitos dias, noites, fins de semana sacrificados em prol de uma causa maior, sem contar que nas reuniões de fim de semana sempre tinha um ou outro (muitas vezes eu) com aquela carinha de ressaca. Hahaha
Pois é povo, passei por aqui porque queria extravasar toda essa alegria e felicidade dentro de mim.

Beijos e agora vou dormir porque to só o papel do bombom,

Larissa!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Plástico? Nããão, jornal!

Olá!!! Antes de tudo desculpa pelo meu sumiço, se não fosse a amiga Amanda, nada acontecia por aqui! rsrsrsrsr...

Hoje eu resolvi falar de um tema super atual e ao mesmo tempo importantíssimo para todos nós: Educação ambiental! Para quem não sabe, eu faço pós-graduação em Perícia e Auditoria ambiental e lá tudo o que estudamos quase sempre repetimos como um mantra a seguinte frase: Isso não seria necessário se existisse a educação ambiental! Sei que hoje já existe pós-graduação disso na UECE e em algumas escolas já é disciplina obrigatória, ou seja, eu vejo com o meu otimismo que no futuro o que nós quebramos a cabeça para fazer, as pessoas farão com uma naturalidade como se fosse escovar os dentes! Vou começar colocando uma coisa que eu ainda não faço, mas que eu sempre tive dúvida e que sempre conversei com a amiga Larissa a respeito: como evitar as sacolas plásticas se elas são tão necessárias para guardar o nosso lixo?


Semana passada eu recebi um email de uma amiga da pós e achei fantástico, daí resolvi dividi-lo com vocês! Dá uma olhadinha:

Dia desses, quando recusei a sacolinha plástica numa loja, ouvi da moça do caixa: mas como você faz com o seu lixo? Não foi a primeira vez que me perguntaram isso. A grande justificativa das pessoas que dizem que "precisam" das sacolinhas é a embalagem do lixo. Tudo bem, não dá mesmo pra não colocar lixo em saco plástico, mas será que não dá pra diminuir a quantidade de plástico no lixo? Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana é usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço, por exemplo, e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa (da pia, do banheiro, do escritório). Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc), pode ir direto para a lixeira sem proteção. No caso dos lixinhos da pia e do banheiro (absorventes, fio dental, cotonetes), o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos. A ideia veio do origami, que ensina essa dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí. Veja:

Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado.


Dobre a ponta inferior direita sobre a ponta superior esquerda, formando um triângulo, mantendo a base para baixo.


Dobre a ponta inferior direita do triângulo até a lateral esquerda.

Vire a dobradura "de barriga para baixo", escondendo a aba que você acabou de dobrar.

Novamente dobre a ponta da direita até a lateral esquerda, e você terá a seguinte figura:


Para fazer a boca do saquinho, pegue uma parte da ponta de cima do jornal e enfie para dentro da aba que você dobrou por último, fazendo-a desaparecer lá dentro.


Sobrará a ponta de cima que deve ser enfiada dentro da aba do outro lado, então vire a dobradura para o outro lado e repita a operação.


Se tudo deu certo, essa é a cara final da dobradura:


Abrindo a parte de cima, eis o saquinho!


É só encaixar dentro do seu cestinho e parar pra sempre de jogar mais plástico no lixo!


Que tal?

Gente, eu espero que tenha ajudado,

Beijos de açucar!

Rully

REALIDADE

Gente, passando aqui rapidinho no meu horário de almoço pra comentar sobre uma cena engraçadamente triste que presenciei hoje logo cedo.
Ao chegar na HABITAFOR, meu mais novo e adorado local de trabalho (depois de muito esforço), me deparo com uma multidão de gente na calçada, as portas trancadas e a policia armada dentro e fora. De cara imaginei que fosse algum protesto e, de fato, era.
Fui me metendo no meio do povo pedindo licença e TODOS eles gentilmente me cedendo. Quando por fim consegui chegar a porta uma mulher pegou no meu braço e perguntou:
-Você trabalha aqui?
E eu, um pouco receosa:
-Não senhora, vim fazer um trabalho para a faculdade.
Quando consegui encostar no vidro,chamei um policial e fiz gestos de que trabalhava lá e precisava entrar. Ele, com gestos também, me mandou entrar pela garagem. Quando estou saindo para entrar na garagem, novamente a mulher:
-Ei minha filha, você vai entrar por onde?
-Por nenhum lugar, vou embora.
Segui meu rumo, encontrei um policial no caminho e ele foi andando comigo até o portão da garagem.
Quando cheguei La em cima tava aquele converseiro sobre os manifestantes, a polícia e o motivo da manifestação, nesse caso: HABITAÇÃO!
Gente, o problema de habitação é um dos mais sérios do nosso país. É algo que todo mundo tem noção de que existe mas que não imagina, de fato, como é a realidade. Dos mais absurdos que já vi, tem FAMÍLIAS morando em barracos nas margens de rios, com aquela areia molhada, barrenta e o barraco não tem nem coberta, é a céu aberto mesmo. Crianças brincando na lama, misturadas com animais. Desse sério problema de falta de habitação originam-se vários outros, como a saúde, por exemplo, entre vários que eu poderia citar aqui mas o tempo não me permite. Isso é um caso que tem que ser visto, aliás, enxergado por todos nós. Estamos falando de DIGNIDADE humana ou, nesse caso, a falta dela.
Enfim, ano de eleição, é bom pensarmos e avaliarmos muito bem o nosso precioso voto. Ele é a nossa força, nossa arma, para se fazer algo por essas pessoas que tanto necessitam.

Beijos,

Larissa Viana!

Vende-se um avião.

Hoje, passei na frente da MITO e vi um AVIÃO à venda no pátio da concessionária. Avião virou um meio de transporte tão popular aqui em Fortaleza que você pode encontrar um à venda no pátio de uma concessionária???  Vai que passa alguém na frente da MITO, acha a aeronave bonitinha e resolve levar pra casa, né?!

Inté.

Amanda Klein

Sequestro??

Hoje, 4:30h da manhã o telefone lá de casa toca! Minha mãe atende e eu fico acordada no quarto esperando a bomba, até porque um telefonema uma hora dessa só pode ser desgraça, ninguém vai te ligar às 4 da manhã pra avisar que você ganhou um carro ou uma viagem com acompanhante para NY. Como meu avô tem 81 anos e minha avó 79, eles foram às primeiras pessoas que pensei e rezei pra que não fosse nada com eles. Enfim, fiquei sentada na cama só ouvido a minha mãe, e quando ela começou a perguntar quem estava falando, eu me toquei que era trote e comecei a dizer pra ela desligar o telefone, mas como minha irmã mais velha não mora aqui, ela ficou na dúvida e não desligava de jeito nenhum! No outro lado da linha uma pessoa dizia que tinha sido assaltada e ficava dizendo “Mãe, me ajuda, me ajuda!”. Minha mãe só desligou o telefone quando a pessoa do outro lado da linha perguntou se o “painho” estava em casa. Como assim o “painho” está em casa? Meu pai não mora lá em casa e essa seria a última coisa que qualquer uma lá em casa falaria caso fossemos seqüestradas! Esse trote é mais velho que minha avó, mas mesmo assim a coitada da mamãe ficou com dor de cabeça por causa do nervosismo. Esses presidiários poderiam ser um pouco mais educados e ligarem no horário comercial ou pelo menos até a meia noite, né?!! Educação é fundamental! Rsrsrs

Bjs,

Amanda Klein

Prêmio Multishow

Ontem, eu acho que o Renato Russo teve um ataque epilético no túmulo quando a Cláudia Leite começou a cantar "Pais e Filhos" com o Victor e Leo no Prêmio Multishow. Quando a música começou só com a dupla, eu achei que estava legal, a voz do Leo é legal...mas quando a Cláudia Leite entrou e começou a cantar...Jesus apaga a luz!!! O negócio embolou (acho que eles não ensaiaram), bateu a vergonha alheia e eu sai da frente da TV, fui rezar uma Ave Maria pro Renato Russo se acalmar no túmulo e voltar para o sono eterno em paz.

Bjs,

Amanda Klein

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Última semana para ver “De Picasso a Gary Hill”

Eu pensei que a exposição "De Picasso a Gary Hill" tinha terminado domingo passado, mas graças à minha mãe que estava arrasada porque não tinha visto, eu resolvi confirmar a informação e descobri que a exposição está na sua última semana! Por isso, se você gosta e ainda não foi, corre que ainda dá tempo!!



Local: Museu de Arte Contemporânea do Dragão do Mar (MAC Dragão do Mar).
Visitação do público até 29 de agosto.
De terça a sexta, das 9hs às 19hs (acesso até 18:30hs).
De sexta a domingo, das 14hs às 21hs (acesso até 20:30).


Bjs,

Amanda Klein

Beyonce ou Tati Quebra Barraco??

Olhando o velho GE de guerra nesse fim de semana, me deparei com a Camila Coutinho elogiando esse look:


Peeeeeelas caridades...ou eu sou muito brega ou isso ta mais pra Tati Quebra Barraco indo pegar um bronze no Piscinão de Ramos do que pra Beyonce de féria na Itália! Tira o colar, o brinco e a pulseira que passa!

Bjs,

Amanda Klein

Dia da infância!

Hoje, recebi um e-mail do Charles (ou Charlito como eu gosto de chamá-lo), um grande amigo que eu não vejo há anos mas que tenho um eterno carinho. Ele é uma daquelas pessoas que você adora, sorrir só de falar nele, e não entende porque você é tão retardada por não desfrutar da companhia e amizade dele já que vocês moram na mesma cidade e sua casa é bem próxima a casa dele. Enfim, pensamentos à parte e voltando ao assunto...ele me mandou o seguinte e-mail:


"Hoje, dia 24 de agosto, é comemorado o dia da Infância! Aproveito a data para apresentar minha nova empreitada na blogosfera: Playground, o blog de brinquedo. Por lá, encontrará dicas culturais para crianças e/ou adultos. A idéia é justamente essa: falar sobre o que atrai a atenção dos pequenos e dos crescidos. Destacar produtos culturais que não tratam os mais novos como incapazes intelectuais, tampouco espantam os adultos.
(Você também pode acompanhar o site via Facebook, RSS ou receber as atualizações no seu e-mail)

Vez por outra, vamos revistar o passado. Mas esse não é um site para saudosistas, para aqueles que pregam que “bom mesmo era o meu tempo”. “Eu não vivo no passado, o passado vive em mim” (Paulinho da Viola). O objetivo do blog é abordar o que une distintas gerações hoje. Obras interessantes, que não confundem a falta de vivência das crianças com ausência de sensibilidade. O adulto não é apenas quem paga a conta, é parceiro na diversão.

Hoje, dou dicas de quadrinhos para meu sobrinho de 12 anos. Quando estou em dificuldade em algum jogo eletrônico, ele vem e me auxilia em alguma fase mais difícil.

Algumas vezes, assisto a um trailer destinado ao público infantil e penso: vai ser tão ruim que os pais vão disputar quem vai levar as crianças para o cinema.

Por outro lado… Animações da Pixar ou Dreamworks encantam crianças e adultos. Oferecem estórias divertidas, e não mensagens educativas em que o que importa é apenas a lição a ser aprendida. Desenhos animados exibidos na TV muitas vezes são mais engraçados que algumas sitcoms badaladas.

Por outro lado, jovens freqüentam bares com jogos de tabuleiro. Empresas usam jogos para treinar seus funcionários e até mesmo as notícias ganham versão lúdica (newsgames). Mesmo a malharão virou brincadeira (Wii Fit).

Na literatura, Harry Potter oferece livros longos e com passagens sombrias.

De certa forma, não é um fato novo. Nos anos 1990, O Mundo de Sofia, um livro infantojuvenil sobre a história da filosofia ocidental, fez grande sucesso também entre adultos. Tempos depois, O Estranho Caso do Cachorro Morto, de Mark Haddon, mirou o público mais novo, mas cativou também os mais velhos. O narrador, um garoto com deficiência mental, descontroi vários clichês literários. Para isso, ele utiliza “técnicas” de um texto de ficção.

Se voltarmos mais no tempo, vamos encontrar as músicas de Chico Buarque para o filme Os Saltimbancos Trapalhões e a canção-tema do Sítio Do Pica-Pau Amarelo, composta por Gilberto Gil.

Esses são apenas alguns exemplos. No blog, vamos descobrir novas opções. Pablo Picasso certa vez afirmou: “Eu passei a vida inteira tentando desenhar feito uma criança.”

Vik Muniz, o artista plástico brasileiro mais prestigiado atualmente no exterior, compartilha sentimento similar: “Eu julgo minha maturidade artística pela habilidade de me fazer entender pelas crianças, por ser como uma delas.Você só é jovem uma vez – mas isso pode durar uma vida inteira.”

Faço o mesmo convite para você. "

http://play.cadedigital.com/

Bjs,

Amanda Klein

Ô candidato liiindo!

Você mora em São Paulo e não sabe em quem votar para Deputado Federal?
Seus problemas acabaram!!

Vote no abestado!




Bj,

Amanda Klein

Hoje é dia...

Hoje eu acordei com a corda toda! Minha mãe me acordou 7:50hs com uma voz de desespero porque já era “DEZ PRAS OITO!!” e eu ainda estava dormindo. Tudo bem que já estava tarde, mas eu só entrava no trabalho às 8:30! O desespero dela era tanto, que por um momento, eu pensei que se tivesse um grupo terrorista invadindo nossa casa ela não ficaria tão desesperada. Eu já falei pra minha mãe que se ela continuar me acordando dessa forma eu infarto antes de chegar aos 30 anos. Até aí tudo bem, eu sobrevivi ao susto e consegui chegar ao trabalho com um pequeno atraso de 15 minutos! Chegando ao trabalho, os gerentes me pegaram para Cristo e inventaram que eu tinha perdido a festa surpresa da funcionária do RH! Eu acreditei e fiquei arrasada, afinal, eu estava morrendo de fome. Fui no RH pra dar os parabéns à menina e conversa vai, conversa vem, eu digo o seguinte: “Mulher, tu não vai mais voltar pro auditório, não? Já acabou a festa mesmo?”. Ela me olha com uma cara de quem não ta entendendo nada, a chefe do setor me fuzila com o olhar e eu entendo que eu acabei de fazer uma merda...entreguei a festa surpresa da menina!


Volta pra casa e dorme, Amanda!!!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O laço e o abraço.

Recebi esse texto da minha irmã. Como achei muito lindinho resolvi compartilhar com vocês!

Uma ótima semana!

Bjs,

Amanda Klein

"Meu Deus! Como é engraçado!

Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma fita dando voltas. Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.

É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braços. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço.

E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?

Vai escorregando...devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.


Ah! Então, é assim o amor, a amizade. Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita. Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.

E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço. Então o amor e a amizade são isso...

Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!"

(Mário Quintana)

domingo, 22 de agosto de 2010

Dica gastronômica...

Se você estiver com vontade de comer uma pizza, pode dar uma passadinha na Delitália e pedir uma pizza metade abobrinha e a outra metade de berinjela. Uma delícia! Hummmm. Aprovado!




Pizza Delivery: (85) 3133-5000


Av. Desembargador Moreira, 533 - Meireles

http://www.delitalia.com.br/

Bjs,

Amanda Klein

sábado, 21 de agosto de 2010

Pensamentos...

É tão frustrante olhar as pessoas complicarem a vida e você assistir a tudo e não poder fazer nada! O que tem demais sair para comprar um ingresso e tomar uma cerveja num barzinho pé de chinelo com as amigas e só avisar pro namorado quando você chegou ao bar? Pra mim isso é normal, besteira...até porque como as coisas na minha vida acontecem numa velocidade incrível, se eu tivesse que ficar ligando toda hora, meu salário iria todo pra OI.

Enfim, é chato ver a vida seguir pelo caminho mais complicado enquanto o caminho mais simples está logo ali ao lado. Eu tive essa sensação vendo a vida da minha amiga e vivendo a minha própria! Você caminha seguindo numa direção que seu coração “não quer”, mas que naquele momento é o certo a ser feito. Aí, de certa forma, você passa a contribuir para o fim de algo que você acreditava e que, às vezes, ainda acredita. Por você, você estaria longe dali vivendo outro momento, mas você não pode, porque por mais que você não esteja completamente feliz, isso é o máximo que você pode ter. Dar murro em ponta de faca dói e cansa. Vamos vivendo e aproveitando o que de bom cruza no nosso caminho.

“O muito pra mim é tão pouco e o pouco é um pouco demais.”

Bjs,

Amanda Klein

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Bosco bosquinho...

Quando não se sabe por onde começar, indica-se iniciar-se por algo que dê prazer! Então, nada mal começar falando de algo que a gente adora: Shows!!! Esse fim de semana vai ter o show do cantor João Bosco.
Vai ser no Centro Dragão do Mar de Arte e cultura, mais especificamente no Anfiteatro. Quem já foi para um show lá sabe a delícia que é: Clima intimista, preço acessível...Tudo uma iniciativa do projeto MPB Petrobrás. Ou seja, aguardem que outros shows também virão!! E é isso gente. Fico feliz de ver nossa querida "Terra do Sol" inserida na cena cultural!! Feliz de verdade, aliás, como diz nossa amiga Bia, de verdade verdadeira!!! kkkk...

Um beijo e um queijo!!!

Rully

Viajar é preciso! Destino? Recife!

Coisa boa é viajar, né povo. Aquela vontade que chegue logo o dia, a expectativa, fazer as malas, escolher a dedo as melhores roupas do seu e do guarda-roupa das amigas. Hahaha. Listinha das roupas do dia, é sim, eu sempre faço isso pra não ficar perdida e terminar usando com uma calça uma blusa que era pra ser usada com uma bermuda. Planos, planos e mais planos para a viagem. Ai, tcharam, chega o bendito dia, aquele aperreio de aeroporto, ultima chamada e lá esta você sentada do lado de um senhor que ocupava metade da sua poltrona e, não satisfeita, uma família atrás com 2 crianças que NÃO PARAVAM de chutar as poltronas um único minuto da viagem. Ainda bem que a viagem era curtinha, 1h só até Recife, dava pra agüentar. Mas a mulher do lado direito, coitada, ia com essa família mal educada até SP. Aliás, família mal educada não, pais mal educados que estão fazendo o mesmo com os filhos, zero limites. Mas enfim, essa foi só a primeira coisa que não saiu conforme os planos para a viagem.

Chegando lá, aquela coisa, pegar mala, lei de Murphy, a mala sempre é a ultima a vir na esteira, pechinchar o taxi e enfim ir para o destino. Chegando no destino o que resta é esperar pelas pessoas que vão te encontrar no final do expediente. Aí fica aquela coisa, mala grande, não rola ficar peruando, o melhor é sentar no bom e velho meio fio e desfrutar da companhia do amigo cigarro até o fim do horário comercial. Enfim chegam as tão sonhadas 18h, as pessoas chegam, é aquela festa:

-Saudade, que bom te ter aqui e blá, blá, blá.

Sexta feira, dia de festa, festa na casa dos amigos dos amigos da cidade que você ta visitando. Aquela coisa, todo mundo atencioso, querendo saber como é sua cidade, sua vida nela e mais blá, blá, blá. Ai tudo ótimo, fim de festa vamos pra casa que o fim de semana ta só começando.

Santa ilusão, coitada. Sábado de dilúvio, cidade alagada, tempo que não passa, você impregnada, sem nem televisão para ver. Mas ok, vamos dormir que amanhã vai ter sol e da pra fazer algo. Mais uma vez o que? Enganada. Mais chuva, pouco menos que sábado, da até pra fazer um programa que você jamais pensou fazer, mas só em ter saído de casa já ta valendo. O tal do programa inesperado acaba no meio, mas vamos em frente, ainda se tem 8 dias de visita. Será que é para rir ou chorar?

Começa a semana, dia inteiro perambulando pela rua, em um dia da pra fazer tudo o que você pensou em fazer durante a semana inteira. Na terça feira você já tem absoluta certeza que quer vir embora no máximo no outro dia. Vamos lá antecipar a volta, essa viagem nem de longe ta sendo como esperada. Triste e decepcionada o rumo é o cyber mais próximo para pedir ajuda de uma amiga na antecipação da volta.

-Cara, são vários R$ para antecipar, mas pode ser em 5x no cartão. Quer que eu antecipe?

-Por esse preço, nem sendo em 10x. To fora, vou ficar por aqui até o final.

Aí você sai, a cabeça a mil e decidida fazer aquela viagem valer a pena. Você não quer voltar pra casa e só ter desgraça para lembrar e contar, né?! Você quer fazer toda a energia e disposição gastas valerem a pena, sem contar no dinheiro. Fazer valer a expectativa e ansiedade que você teve e ser feliz onde está. E aí, você se lembra daquele seu grande e velho amigo da época do colégio que você adora e que mora em um município na serra bem próximo a Recife. O que fazer? Será que esse número ainda é dele? Tentar, né?! E aí, tcharam, o número é dele e ele fica o mais animado com a sua ida para a cidade onde ele trabalha, porém vai logo avisando que lá não tem muito o que fazer.

Você arruma suas malas e corre ao encontro da felicidade, pega o primeiro ônibus na manhã seguinte e segue livre, leve e solta. Chegando lá, aquela festa. Você fica super a vontade, sente-se em casa. Cidade na serra, só tinha roupa de verão, vai correndo comprar uma MEIA ARRASTÃO ROSA PINK. Deve-se admitir que ela nem esquenta muito, era mais pra entrar no estilo da galera “ fashionista” de Caruaru-Pe. Como o amigo trabalha, ele te apresenta para uma amiga que tava de férias e vocês passam o dia a andar, descobrindo a cidade e se encantando com tudo de mais interessante que aquela cidade tem a oferecer. A noite, como não pode deixar de ser, BAR, né?! Adora-se a preocupação deles de te levar em lugares a sua cara. Esse amigo apresenta mais vários amigos, todos maravilhoso. E assim se passaram 3 ótimos dias nessa cidade super interessante até a volta para Recife, onde mais uma vez se é muito bem recebida por uma galera do bem, com o coração e a mente livres e abertas. Ainda dá pra curtir mais uns sambinhas em Recife. Ô coisa boa é ter amigos. É, amigos mesmo, de verdade, desses que você fica dois anos sem falar mas que ta lá sempre que você precisa e que cada um mora no coração do outro.

E outra, é super recomendado quem estiver pelo Pernambuco desviar um pouco o caminho e passar uns dias em Caruaru. Friozinho gostoso, cidade super interessante, cheia de coisas a ser descoberta. E quem for por lá não pode deixar de tomar umas no Petisqueiro, na Cachaçaria e na Mercearia. Essa ultima é o que há, lugar super descolado, música ótima, atendimento de primeira, o dono e o garçom super atenciosos, gente disposta a conversar e te fazer dar boas risadas e, por ultimo, mas não menos importante, a geladeira mais irada que eu já vi.

E é assim que se transforma alguns limões em algumas belas caipirinhas.

Como diria meu amado Caetano:

“Sem lenço, sem documento

Nada no bolso ou nas mãos

Eu quero seguir vivendo, amor

Eu vou...”

Eu com minha mega meia arrastão rosa Pink que será usada brevemente em Fortaleza-Ce e uma galera sem comentários. Ao lado a super geladeira mais moderna dos últimos tempos...quero uma lá em casa!!

Bjs,

Larissa Viana

Domingo no Amici´s

Domingo a tarde fui assistir um jogo no Amici´s e por lá mesmo fiquei. A noite rolou Groovytown! A banda é ÓÓÓÓTÉÉÉÉMA!! Suuuuucesso! Para quem quer sair um pouco da mesmice de Órbita essa é uma ótima opção. Voltarei!

Bjs,

Amanda Klein

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

A ORDEM É SAMBA

É samba que eles querem

Eu tenho!
É samba que eles querem
Lá vai!

No Rio de Janeiro

Todo mundo vai de samba
A pedida é sempre samba
E eu também vou castigar...

Lá vai!
Lá vou eu de samba
Somente samba
A Ordem é Samba
E nada mais...

Deixe que digam!
Que deixe que digam!
Que deixe que digam!
Que deixe que digam!
Que deixe, Que deixe!
Que!...